domingo, 15 de julho de 2012

O "grifinho" já voa

Na passada 3ª feira a cria de grifo saltou para umas plataformas abaixo do ninho e não conseguiu voltar. Depois de uma noite nessas plataformas, e não deixando de treinar as asas, o "grifinho" acabou por se decidir a voar, até à outra margem do rio.

O primeiro voo aconteceu por volta das 9h40 de dia 11 de Julho.

Ontem regressou ao ninho onde foi alimentado pelos progenitores e voltou a sair o que revela que já está à vontade nas suas idas e vindas.

As imagens do primeiro voo serão brevemente publicadas em www.zappiens.pt.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O "grifinho" exercita as asas

Nos vídeos abaixo é possível ver a evolução dos exercícios de asas da cria de grifo, desde 26 de Maio (o primeiro), ou seja há já 3 semanas:
video

Aqui a 9 de Junho:
video

E nos últimos dias, 13 e 14 de Junho
video

video

segunda-feira, 30 de abril de 2012

A Natureza por vezes parece cruel

A 2ª cria de grifo deste ano, que nasceu no chamado “ninho da grifinha” estava virada de barriga para cima, pelo menos desde dia 18 de Abril. Continuava a ser alimentada pelos pais e aparentemente a crescer de forma normal mas certamente não estaria bem porque pelas 15h56 foi possível avistar o ninho bastante remexido e já abandonado pelos adultos e o cadáver da cria. As causas são desconhecidas mas provavelmente o mau tempo das últimas semanas pode ter contribuído para agravar a situação pouco confortável em que a cria se encontrava.

Nestas ocasiões fica sempre a dúvida se se deve interferir no normal desenrolar da vida na Natureza (que por vezes pode ser bastante cruel) quando não houve interferência humana e quando a espécie não apresenta grandes problemas de conservação.

Mas neste caso, qualquer interferência teria posto em risco a normal evolução de outra espécie, essa com problemas de conservação: mesmo por baixo deste ninho está um ninho de cegonha-preta onde o casal está a incubar os ovos; qualquer intervenção neste ninho poderia ter assustado o casal de cegonha-preta, que como sabem se trata de uma espécie muito sensível à presença humana, e pôr em risco essa incubação.

No outro ninho de grifo a cria cresce de forma saudável, e até já se põe em pé.